Projeto para melhoria da saúde dos brasileiros

1– PROJETO PARA INCENTIVAR A PESQUISA PARA FORMULAÇÃO DE UM NOVO PARADIGMA SOBRE A CONCEPÇÃO DAS DOENÇAS TIDAS COMO INCURÁVEIS NA MEDICINA OFICIAL

2 – POSTO DE SOCORRO HOMEOPÁTICO

3 – MEDICAMENTOS QUÍMICOS E AGROTÓXICOS SUA INFLUÊNCIA NA SAÚDE, NA AGRICULTURA E NA ECONOMIA.

4 – MODELO DE INCENTIVO A MANUTENÇÃO DA DOENÇA

5 – O MODELO ESTADO-MEDICINA

6 – O USO EXCESSIVO DE DROGAS NA POPULAÇÃO BRASILEIRA

7 – AS DOENÇAS ENDÊMICAS

1 PROJETO PARA INCENTIVAR A PESQUISA PARA FORMULAÇÃO DE UM NOVO PARADIGMA SOBRE A CONCEPÇÃO DAS DOENÇAS TIDAS COMO INCURÁVEIS NA MEDICINA OFICIAL
MINISTÉRIOS INTERESSADOS:
MINISTÉRIO DA JUSTICA
MINISTÉRIO DA SAÚDE
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

A medicina alopática, sob a responsabilidade do Conselho Federal de Medicina e também do Ministério da Saúde, parte do principio, que há centenas e até milhares de doenças que são tidas como incuráveis e a medicina usa apenas o conhecimento, as técnicas, os métodos, os medicamentos, os tratamentos para manter a pessoa doente.
Esta informação é repassada para a população que tem de acreditar que as doenças são incuráveis e que as pessoas tem de conviver com as doenças, submetendo-se a tratamentos, operações, internações hospitalares caríssimas para a pessoa e para o governo, mas sempre visando manter a pessoa doente. Muitos morem, outros se tornam inválidos apesar de seguir a risca todas as orientações médicas.
Por outro lado, no Brasil todas as pessoas, organizações que se dedicam a estudar, a pesquisar métodos de cura, de normalização das pessoas por outras terapias, que não são métodos alopáticos, são acusados de praticar o crime de curar (curandeirismo, e charlatanismo, artigos 292, 293 e 294 do CODIGO PENAL).
Toda vez que uma pessoa, uma organização se dedica ao caminho de procurar um novo método de cura, que não o alopático, ela é ameaçada e denunciada a policia, por médicos alopatas de estar praticando a medicina.
Existem no mundo mais de 200 métodos de cura que não são os métodos da alopatia. Mas, sempre a pessoa que quer investigar um outro método ela é ameaçada, amedrontada e acabam paralisando as suas pesquisas.
Mas, para resolver este impasse, estamos propondo elaborar uma lei com os seguintes termos:

SUGESTÕES
O QUE ATUALMENTE É CRIME, PASSARIA A SER:
“Obrigação do Governo Federal, estaduais e municipais incentivar a pesquisa, o estudo e a aplicação dos métodos e técnicas de cura e harmonização das pessoas através de métodos, técnicas e conhecimentos não reconhecidos pela alopatia, e que abranjam os métodos naturais, princípios universais, holísticos, energéticos, abrangendo principalmente as plantas medicinais, fitoterápicas, florais, acupuntura, homeopatia e todos demais conhecimentos da humanidade que tratam da energia.”
Os governos federal, estaduais e municipais ficam autorizados a contratar e admitir terapeutas, não médicos, para trabalhar no sistema de saúde.
Incentivar cursos para formação de terapeutas, não médicos.
Os governos federal, estaduais e municipais devem obrigatoriamente aplicar valores anualmente crescentes, até a metade dos valores dispendidos em medicamentos, equipamentos na compra e distribuição de produtos naturais com plantas medicinais, fitoterápicos, florais e homeopatia para o sistema de saúde do SUS.
Os hospitais brasileiros devem manter setores, alas, onde se oferecerá tratamento as pessoas por terapeutas, não médicos, e que serão atendidos com plantas medicinais, fitoterápicos, florais, homeopatia e acupuntura e outras terapias energéticas.
As empresas, instituições que se dedicarem a pesquisar, ensinar, divulgar, publicar livros e jornais, sobre métodos não alopáticos, naturais, energéticos, holísticos de cura e harmonização das pessoas, animais, plantas, solo, ar e água, terão incentivos fiscais e abatimentos nos impostos em até 100% do valor devido, nas atividades dedicadas a este fim, desde que tais gastos sejam comprovados nesta atividade.
O ensino de primeiro e segundo grau deve incluir obrigatoriamente uma disciplina de terapias naturais, holísticas, energéticas.
O registro na ANVISA de medicamentos naturais, como plantas medicinais, fitoterápicos, florais, minerais e novos medicamentos homeopáticos deverão ser normatizados de forma simplificada a fim de ser incentivada a pesquisa de novos medicamentos.

2 POSTOS DE SOCORRO HOMEOPÁTICO
O governo federal, estaduais e municipais passarão a incentivar a instalação e manutenção de POSTO DE SOCORRO HOMEOPATICO, conforme a lei 5991/1973
“Art. 14 – Nas localidades desprovidas de farmácia, poderá ser autorizado o funcionamento de posto de medicamentos homeopáticos”……

Sugestão, os POSTOS DE SOCORRO HOMEOPÁTICO, atualmente permitidos somente em lugares distantes a 6 km de farmácias homeopáticos deverão ser livres a sua instalação em quaisquer pontos do país, como acontece com os postos de vendas de medicamentos, que são permitidos inclusive em supermercados, embora haja uma farmácia ao lado.
Atualmente a lei permite a instalação de postos de socorro farmacêutico afastados de 6km de farmácias homeopáticas. Mas, hoje com o aumento populacional das cidades e a favelização urbana, há necessidade de se liberar os postos de socorro homeopático, nos morros, nas favelas, ainda que a menos de 6 km das farmácias.

3 MEDICAMENTOS QUÍMICOS E AGROTÓXICOS SUA INFLUÊNCIA NA SAÚDE, NA AGRICULTURA E NA ECONOMIA.
MINISTÉRIOS INTERESSADOS
MINISTÉRIO DA ECONOMIA
MINISTÉRIO DA FAZENDA
MINISTÉRIO DA SAUDE
MINISTÉRIO DA EDUCACAO
MINISTÉRIO DO MEIO HAMBIENTE
MINISTÉRIO DA AGRICULTURA
O Brasil é um país dependente de medicamentos químicos, modelo de saúde que usa a técnica de manter as pessoas doentes sem nunca normalizá-las. Este modelo é dependente economicamente dos Estados Unidos e de países europeus, o qual gera um pesado ônus a balança comercial do país.
Também é extremamente dependente de agrotóxicos, modelo dos biocidas, produtos que visam matar os vírus, as bactérias, os vírus das plantas cultivadas, mas nunca normalizam as plantas e as quais se tornam cada vez mais dependentes de doses mais fortes de agrotóxicos.
Tanto o modelo de medicina que é praticada em larga escala no Brasil, com orientação do CFM e do Ministério da Saúde, e do Ministério da Agricultura visa apenas a manter as pessoas doentes e as plantas a produzirem num estado completamente de stress e exaustão e totalmente distanciadas do modelo natural.
Este modelo aplicado nos humanos e nas plantas é um modelo econômico extremamente vantajoso para os paises fornecedores de medicamentos químicos e de equipamentos hospitalares, pois a pessoa nunca se normaliza, e passa a ser um cliente cativo da organização médica, hospitalar, dos fabricantes de equipamentos para manter o doente apenas com sobrevida. Este modelo além de ser iníquo com as pessoas, ele cada vez se tem tornando mais oneroso para a economia do país.
O Brasil nos dois últimos quadriênios aplicou maciços recursos financeiros nos hospitais, clínicas médicas e universidades, mas unicamente no modelo que mantém as pessoas doentes, sem nunca normalizá-las.
Caso o governo atual resolver apoiar um novo modelo natural paralelo ao modelo alopático à população irá gradativamente aprendendo a escolher qual deles será o melhor para a sua saúde.
Por outro lado, o governo poderá gastar muito menos em verbas com a saúde, pois a população se tornará muito mais saudável, mais equilibrada, mais saudável, e viverá menos dependente de licenças de saúde, de aposentadorias precoces, de privilégios. As pessoas que são tidas como incuráveis na medicina oficial normalizadas, equilibradas com ajuda nas terapias naturais voltarão para o mercado de trabalho e passarão a ajudar a construir o Brasil ao invés de serem dependentes do sistema médico-hospitalar, de creches, de favores, de migalhas, de ajudas humanitárias.
PARTE ECONOMICA
Haverá um resultado imediato nos gastos públicos que ao invés do governo ter de aplicar maciços recursos financeiros na manutenção dos doentes, em licenças de saúde ou com aposentadorias precoces, toda uma grande parcela da população voltará a se tornar produtiva.
NA AGRICULTURA
Como se referiu acima o modelo de medicina aplicado na agricultura é semelhante ou mais nefasto ainda.
Um emérito professor universitário declarou: a medicina humana mata no varejo e agricultura com os agrotóxicos mata no atacado. Cada parcela de agrotóxico mata a vida natural dos solos, dos microorganismos do solo, deixando a planta num verdadeiro stress, que acaba produzindo produtos que estão contaminados com venenos, com metais pesados, que são ingeridos pelas pessoas.
Isto está ocorrendo com quase toda a população brasileira. Todas as classes sociais estão sendo envenenados com os agrotóxicos, com os metais pesados que estão nas plantas, nos cereais, nas frutas, nas verduras. Os exames nas pessoas indicam que são raras as pessoas que não possuem metais pesados em excesso no organismo.
Este modelo além de adoecer as pessoas ele torna o Brasil dependente dos paises fornecedores de agrotóxicos, que cada vez exige doses mais fortes e mais potentes.
Sugerimos incentivar o uso de métodos naturais, agricultura orgânica, associada à homeopatia, que pode ser colocada nas águas irrigadas. As bombonas, que são acopladas nos tratores, para espargirem agrotóxicos podem ser usadas para se preparar homeopatia e aspergir homeopatia nos campos de trigo, de soja, de milho, de arroz, de feijão, de cana de açúcar, nos hortifrutigranjeiras, e todas as demais culturas.
Este método, em primeiro lugar, deixa de adoecer o agricultor, que não mais entrará em contacto com os agrotóxicos. Estes não mais serão colocados nos solos e dos solos não mais correrão para as águas correntes.
Haverá uma nova ordem nos campos, a população começará a ser tornar mais saudável, mais feliz, mais harmonizada. Da mesma forma a população das cidades deixará de consumir produtos com agrotóxicos, que são altamente adoecedores.
O Brasil poderá se tornar um país líder numa nova ordem na agricultura.
Seus produtos adquirirão muito mais valor no mercado externo, que está ávido de produtos naturais, orgânicos, não envenenados com agrotóxicos. Produtos orgânicos homeopatizados possuem um valor três vezes aos produtos agrotoxizados no mercado europeu.

4 MODELO DE INCENTIVO A
MANUTENÇÃO DA DOENÇA
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
MINISITÉRIO DA SAÚDE
MINISTÉRIO DA ECONOMIA
MINISTÉRIO DA FAZENDA
MINISTÉRIO DA JUSTIÇA
SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL
O Brasil no último século, seguindo o modelo das doenças incuráveis tem privilegiado ao brasileiro com centenas de leis federais, estaduais e municipais que incentivam a pessoa a se manter doente.
As leis tem sido de gerar privilégios para as pessoas tidas como incuráveis na Medicina Oficial, regulamentada pelo CFM.
Privilégios para os cegos, para os surdos, mudos, leprosos, cancerosos, aidéticos, aleijados pela talidomida, paraplégicos, aquisição de automóveis para deficientes físicos, doentes mentais. Privilégios em leis para os idosos e para os menores.
Por outro lado, não existe nenhum incentivo para a pessoa doente se normalizar, nenhum incentivo para o pesquisador criar um novo método de cura, fora do modelo do CFM.
Os grupos minoritárias, negros, indígenas, deficientes físicos, idosos ou menores, lutam por privilégios, por cotas especiais, por direitos, privilégios, mas o modelo natural visa normalizar a pessoa, de modo que ela possa viver sem depender de privilégios, de cotas especiais. Ela normalizada vai saber lutar, defender os seus direitos, alcançar as suas metas sem ser uma dependente, sem ser dependente das migalhas dos mais poderosos, das benesses dos que ajudam para aparecer.
Além, de não ter um modelo que incentive a novas pesquisas, novos estudos, novos rumos, como se disse acima, todo aquele no Brasil que se envereda por este ramo é acusado de estar invadindo o campo da medicina.
SUGESTAO: CRIAR LEIS QUE INCENTIVEM A PESQUISA DE NOVOS MODELOS DE CURA, independentes DO MODELO ALOPÁTICO
NA JUSTIÇA CRIAR JURISPRUDENCIA QUE AO INVES DE PERSEGUIR O NÃO MÉDICO QUE SE DEDICA A CURA, ELE SEJA INCENTIVADO A TRABALHAR NESTE CAMPO, DESDE QUE NÃO SEJAM COM OS MÉTODOS ALOPÁTICOS, QUE SÃO EXCLUSIVOS DOS MÉDICOS.

5 O MODELO ESTADO-MEDICINA
MINISTÉRIOS INTERESSADOS
MINISTÉRIO DA JUSTIÇA
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
MINISTÉRIO DA DEFESA
MINISTÉRIO DO MEIO-AMBIENTE
O Brasil já possuiu um modelo onde a religião era confundida com o Estado. Posteriormente, com o processo de democratização no mundo ocidental a religião se separou do Estado, e em cada país a pessoa pode seguir a crença religiosa que ela escolha ou que seja da sua preferência, sem ser discriminada ou mesmo perseguida.
Mas, depois desta democratização o Brasil se enveredou por um caminho muito mais antidemocrático, que é o modelo: “ESTADO-MEDICINA”. A pessoa, o doente, tem se curvar as normas, a prepotência dos médicos que sempre ameaçam os doentes e seus familiares: ou você autoriza tal e tal operação, tal tratamento para o seu pai, sua mãe, seu filho ou filho, ou o PODEROSO MÉDICO DIZ: NÃO RESPONSABILIZAREI PELA VIDA DO DOENTE. O doente e a família fazem tudo que o poderoso médico impõe e depois ele não se responsabiliza mais pelo estado de saúde da pessoa.
No Brasil, a pessoa não tem a opção legal de seguir um outro modelo de medicina, que normaliza a pessoa. Ele não é aceito pelo CFM e nem pelo Ministério da Saúde.

SUGESTÃO:
EDITAR LEIS QUE REGULARÃO AS ATIVIDADES DOS TERAPEUTAS HOLISTICOS, ENERGÉTICOS, NATURALISTAS, HOMEOPATAS, NÃO MÉDICOS, ACUPUNTURISTAS, NÃO MÉDICOS, COMO OS FITOTERAPEUTAS, TÉCNICOS EM FLORAIS, REIKI, E OUTRAS TERAPIAS NATURAIS, já praticadas por milhares de terapeutas, EVITANDO-SE RETIRANDO-SE a espada de Dámocles sobre suas cabeças, com a ameaça de estarem praticando o charlatanismo e o curandeirismo.

6 AS DOENÇAS ENDÊMICAS
MINISTÉRIOS INTERESSADOS
MINISTÉRIO DA SAÚDE
MINISTÉRIO EDUCAÇÃO
MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE
MINISTÉRIO DA AGRICULTURA
MALÁRIA, FEBRE AMARELA E DENGUE, ESQUISTOSSOMOSE E DOENÇA DE CHAGAS
O MODELO ALOPÁTICO PARA O TRATAMENTO DA MALÁRIA, FEBRE AMARELA, DENGUE, ESQUISTOSSOMOSE, DOENÇA DE CHAGAS.
A medicina oficial no modelo dominante visa sempre extinguir o vírus, a bactéria, o fungo que estão atacando os humanos.
No caso da febre amarela, malária, doença de chagas e esquistossomose e dengue o modelo que vem se adotando há mais de meio século é o de combater os vírus, as bactérias causadoras da malaria, febre amarela, das esquistossomose, das doença de chagas e dengue. Mas combater tentando extirpar do planeta uma vida criada pelo projetista universal é ir contra o modelo universal ou querer alterar a ordem natural dos princípios do nosso planeta.
Quanto mais se tenta extinguir as espécies elas se tornam mais resistentes e atacam com mais intensidades os humanos.
A homeopatia tem uma teoria que poderá criar um novo modelo para erradicar a malaria, a febre amarela e a dengue no país.
Aplicando-se a homeopatia nos cursos d água, com o garrafão homeopático pode-se curar os mosquitos da febre amarela, da malaria, da dengue e o transmissor da esquistossomose.
Este projeto pode ter uma participação popular e terá um custo muito mais baixo do que o aplicado atualmente e que estão tornando cada vez mais resistentes os transmissores das doenças.
SUGESTÃO
AS UNIVERSIDADES FEDERAIS E PARTICULARES E O MINISTERIO DA SAUDE PODERIAM SE ENCARREGAR DE ESTUDAR ESTA POSSIBILIDADE QUE TRARIA UMA GRANDE REVOLUÇÃO NA NOSSA NAÇÃO.

7 O USO EXCESSIVO DE DROGAS
NA POPULAÇÃO BRASILEIRA
MINISTÉRIOS INTERESSADOS
MINISTÉRIO DA DEFESA
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
MINISTÉRIO DA SAÚDE
MINISTÉRIO DA AGRICULTURA
MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE
MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO
Caso o Governo brasileiro optar para incentivar o modelo de medicina natural, sem medicamentos químicos, e de agricultura natural, sem agrotóxicos a população brasileira recuperará a sua energia vital, seu controle da mente e deixará de ser dependente das drogas ilegais.
Como as drogas ilegais tem o seu preparo, o seu conteúdo muito semelhante as drogas legais e aos agrotóxicos, as pessoas que usam muito medicamento químico e se alimentam de produtos agrícolas tratados com agrotóxicos elas ficam sujeitas, fragilizadas, e muito suscetíveis de se tornarem dependentes das drogas ilegais. Um pai ou uma mãe que usou muito medicamento químico na sua vida e se alimentou toda a sua vida com produtos agrícolas tratados com agrotóxicos, eles vão gerar um filho suscetível à droga.
Se o Brasil passar a incentivar medicamentos naturais, homeopatia, fitoterápicos, florais, etc, e alimentos orgânicos homeopatizados, a energia vital, a mente dos brasileiros, voltará a reconquistar o seu equilíbrio mental, fortalecerá a sua saúde física, e ela não mais se tornará uma presa fácil da oferta de drogas ilegais.
Todas as pessoas que voltarão a trabalhar, voltarão as suas antigas atividades porque terão reconquistado o seu equilíbrio mental, sua saúde física, interromperão as suas licenças de saúde, suas faltas ao trabalho, suas aposentadorias precoces.
Quantos bilhões de reais, de euros, o BRASIL IRÁ DEIXAR DE GASTAR INULTILMENTE.

PROJETOS FORMULADOS POR

1)INSTITUTO TECNOLÓGICO HAHNEMANN LTDA.

2)FACULDADE DE TECNOLOGIA DE CIÊNCIAS HOLÍSTICAS

3) ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS TERAPEUTAS HOLÍSTICOS E ENERGÉTICOS

4) CONSELHO NACIONAL AUTOREGULAMENTADO DE HOMEOPATIA E PLANTAS MEDICINAIS

Rua Prof. Rubens Romanelli, 135
BANDEIRANTES
BELO HORIZONTE – MINAS GERAIS
31 365 350
FONE 031 34912240
moreno.mg@terra.com.br

Compartilhe nas Redes Sociais