Antibiótico e Homeopatia

Atualmente existe um pânico, sentido em escala global, sobre a falta de um antibiótico que deveria promover o mesmo efeito da penicilina descoberta por Fleming, em 1928, e é fato. Desde aquela época, somente surgiram outros, porém oriundos dela mesma, mais de 14 tipos, e ainda são as mais eficazes no tratamento alopático das mais variadas infecções. O que acontece então se alguém fizer uso em demasia, sem a real necessidade, de determinado antibiótico?Para a alopatia isso se chama resistência à penicilina. Significa que se a pessoa fizer mais e mais uso de antibióticos, para qualquer tipo de problema, não surtirá o efeito esperado, pois as bactérias se tornaram imunes à sua ação, ou seja, no passado o mesmo remédio debelava aquele problema e hoje, não mais. Com isso, o sistema imunológico torna-se cada vez mais frágil e o agente adoecedor, mais resistente. O grande problema é que as penicilinas não são tão eficazes para todos os tipos de infecção, mas as pessoas desconhecem isso e ingerem sem controle, como automedicação, para qualquer suspeita de inflamação. A corrida desesperada pela busca de novos antibióticos está levando os cientistas a uma façanha incomum, que é tentar produzir novo remédio a partir de DNA de bactérias jurássicas. Como são em média 60 milhões de anos anteriores ao surgimento do homem, existe a esperança de conseguirem que faça efeito para toda a população mundial. Tamanha audácia é devido ao número alarmante de indivíduos que, se hoje tivessem que realmente fazer uso do antibiótico para combater uma pneumonia ou sepses, viriam a óbito pelo antibiótico não surtir efeito. Ingerimos muito antibiótico na alimentação, no leite, na carne e ovos, este é um imenso fator de risco. Além disso, quando alguém faz seu uso, solta resíduos na urina que contaminam os rios e que volta para a nossa torneira, por não existir meios de como retirar o antibiótico no tratamento da água (A literatura mostra que vários pesquisadores, em todo o mundo, detectaram muitos desses fármacos residuais em águas naturais e em efluentes de estações de tratamento de esgotos - Bila, D M; Dezotti, M). Com isso, seres inofensivos presentes no meio ambiente, tornam-se super vilões, super bactérias, pois se tornam resistentes ao ingerir o remédio em excesso nos cursos de água onde viviam. Ao tomarmos água da torneira, entramos em contato com antibiótico e com as bactérias resistentes, aumentando nossa suscetibilidade a infecções e à resistência aos remédios.  

Além do exposto, pesquisas recentes concluíram que  "Um em cada seis casos de câncer - 2 milhões por ano - tem origem em infecções (...) e cerca de 80% destes casos acontecem em países em desenvolvimento" (Martel, C  de; Plummer, M. The Lancet Oncology) 

É uma cadeia de adoecimento que não tem fim. Ao final, quem sobreviverá? Aqueles seres humanos que o organismo conseguiu se adaptar a tantas agressões e mostrou que é capaz de se manter saudável em meio a tamanho caos que o homem criou na natureza. Para tanto, temos que nos fortalecer, este é o único caminho que poderá nos manter imunes e cortar este elo. Uma alimentação mais saudável a base de frutas, verduras, legumes, sucos da fruta in natura, exercícios físicos e higiene mental e emocional são realmente o que temos como salvação. Na matéria "Homeopatia e Prevenção na Gravidez" que também encontra-se no nosso facebook e site (vide endereço abaixo) foram dadas dicas preventivas bem simples, claras e eficazes para você fazer no dia a dia, que estão ao alcance de qualquer pessoa que esteja disposta a investir em si mesma para ter melhor qualidade de vida. Nesta mesma matéria, você encontra dicas de algumas homeopatias preventivas gerais, que podem ajudá-lo a aumentar a imunidade de uma forma ampla e também tornando-o mais resistente para que não sofra tanto com recidivas de inflamações e infecções. Se estiver fazendo uso de anti-inflamatórios ou antibióticos, pode usar de forma concomitante com a homeopatia sem prejuízo para o efeito de ambos. A homeopatia tem o poder de trabalhar em você de forma integral, de fazer uma varredura em todo o seu ser e de tratar onde há necessidade. Como ela faz isso? Os remédios da homeopatia são quânticos, nós somos seres quânticos, então se ingerirmos uma homeopatia que possui a informação correta do que necessitamos, esta onda, esta vibração atuará entrando em ressonância e limpando só o que for necessário naquele momento. Os remédios da homeopatia não trabalham com a matéria do elemento químico, mas com sua versão quântica, com a informação eletromagnética do elemento a uma velocidade superior a do pensamento, além de ir muito além da nanotecnologia. Ela não mata os vírus ou bactérias, mas torna o homem saudável, modificando sua frequência quântica e assim, estes seres não possuem mais o habitat ideal naquele corpo.  Ela não ataca o organismo para debelar o invasor, tornando-o mais frágil e sim fortalecendo-o como um todo, indo na origem do por quê ele está mais fragilizado. Esta informação em forma de luz, de onda eletromagnética é ressonante e invade todos os sistemas e células limpando e equilibrando, assim como as mágoas, as tristezas, as inseguranças e decepções que levaram a pessoa a adoecer naquele órgão que possui mais predisposição hereditária.  Prof Eliete M M Fagundes

Compartilhe nas Redes Sociais