Imunidade auxilia no combate do vírus da Zika

Para aumentarmos nossa resistência imunológica contra todo tipo de doenças, é necessário ter uma vida mais harmonizada, com alimentação a base de frutas, legumes e cereais, beber bastante líquido (sucos de frutas frescas e água), dormir bem, além de fazer algum tipo de atividade física regular. Temos uma capacidade natural de autocura, de autoajuste de nosso DNA, que precisa que forneçamos o mínimo de condições físicas para que possa trabalhar adequadamente e nos livrar das doenças.

Mas e quem procura fazer tudo isso e também adoece o que está acontecendo? Não somos formados apenas da parte física, temos nosso espiritual, mental e emocional que é uma energia que também move nossas células físicas; sem esta intervenção da energia vital que nos mantém vivos, seríamos apenas um amontoado de matéria. Portanto, devemos cuidar desta nossa contraparte muito mais do que cuidamos do nosso físico, pois é ela a principal responsável pela manutenção da saúde, pois comanda a transformação do que comemos em energia e a reprodução celular correta.

Para mantermos nossa saúde como um todo, temos que procurar resolver nossos principais conflitos em família, no trabalho etc. E se estes forem quase insolúveis, devemos tentar administrá-los para que não nos afetem tanto no dia a dia. Isto requer muita sabedoria interna, calma, fé e confiança, esperança de que é uma fase difícil que estamos atravessando e que temos direito de poder desfrutar de tempos melhores.

O repelente universal é tentar manter a cada dia nossa vida mais harmonizada. Como nenhum de nós é perfeito, e por isso temos dificuldades em administrar corretamente nossa vida, lançamos mão desta diversidade de aparatos externos que o homem vai inventando para ajudar a se proteger.

Para afastar os mosquitos, por exemplo, os repelentes podem funcionar em algumas pessoas mais e outras menos, pois nenhum deles é 100% seguro. Os mosquitos, os vírus, as bactérias, os parasitas estão por toda parte, e é impossível nos isolarmos completamente deles.

O foco deve estar no combate à reprodução dos mosquitos e no cuidado de si e, neste caso, cabe, principalmente, o uso da homeopatia, da Yoga, dos florais etc. O uso de borrifadores de álcool com cravos e como repelente passando na pele é um dos mais usados, assim como as fórmulas com óleos essenciais, também o cheiro de citronela, andiroba, eucalipto ou lavandula (seja em chá, em velas, em borrifadores), detergentes em locais de água parada, aerossóis e nebulizadores químicos não são recomendados porque geram cepas mais resistentes do mosquito.

Para evitar o mosquito com a proximidade do verão, o recomendado é o uso de mosquiteiros à noite e de telas nas janelas, roupas de cor clara (as coloridas podem atrair o mosquito), ar condicionado (não gostam de frio). Contudo, assim como os repelentes, estas ações são paliativas.

Ao ser diagnosticada com o vírus Zika, a pessoa deve seguir as recomendações médicas. Como não existe remédio específico para o tratamento, além dos cuidados básicos com a alimentação, a homeopatia é recomendada, pois ajuda a fortalecer o organismo e amenizar os efeitos sem provocar efeitos colaterais. Toda homeopatia trata as predisposições às doenças em geral, podendo amenizar o desenvolvimento da doença - no caso de ser picado pelo mosquito contaminado. Com a imunidade alta, diminui as chances do feto ter microcefalia ou outros comprometimentos.

Não existe, em nenhum tipo de tratamento disponível, inclusive no homeopático, algo que tenha uma ação pontual de erradicação de todas as doenças, pois contamos com uma diversidade inimaginável na apresentação dos sintomas e nas reações aos tratamentos, que é totalmente individualizada. Porém, temos alguns remédios com recursos seguros que nos permitem abranger uma grande gama de características dos indivíduos de forma geral, visto que pertencemos a mesma espécie Homo sapiens.

Professora  Eliete M M Fagundes

elietemmfagundes@terra.com.br

 www.homeopatias.com

Compartilhe nas Redes Sociais